Vantagens e desvantagens do jejum intermitente

Qualquer dieta restritiva pode prejudicar o organismo. Por isso, antes de começar qualquer mudança alimentar brusca, o indicado é fazer uma consulta ao nutricionista. Entre as dietas que são tendências está o jejum intermitente. Porém, quais serão as vantagens e desvantagens do jejum intermitente? Descubra no artigo de hoje.  

De acordo com um estudo feito pela Universidade Johns Hopkins (EUA), em 2016, esse método pode ajudar a perder peso de forma moderada. Como alguns protocolos duram cerca de 10 ou 12 horas, ele é mais sustentável para algumas pessoas. Contudo, mais pesquisas são necessárias para uma opinião definitiva sobre o assunto.

Pilares do jejum intermitente

O jejum intermitente prega que se deve comer apenas quando se sente fome. A ideia é que o corpo sabe quando precisa de alimentos, sendo mais eficaz do que horários padronizados. O problema dessa teoria é que pessoas que sofrem de ansiedade e compulsão alimentar podem confundir fome com desejo por comer.

Outro pilar do jejum intermitente é comer apenas durante as janelas de alimentação. Logo, a pessoa deve permanecer horas ou um dia sem comer. Então, ela terá alguns intervalos em que poderá comer cerca de três vezes, dependendo do protocolo.

Fora dos horários das janelas de alimentação somente se deve consumir líquidos não calóricos. Dessa forma, é permitido beber apenas água (com ou sem gás), chá e café sem açúcar. A pessoa deve evitar até mesmo alguns suplementos como whey protein.

Riscos em fazer jejum intermitente

O jejum intermitente não é indicado para grávidas ou lactantes, crianças, adolescentes, pessoas com compulsão alimentar, pessoas ansiosas ou com doenças crônicas como hipertensão e diabetes. Esses grupos necessitam de mais nutrientes e correm grande risco de crises de hipoglicemia.

Quando feita incorretamente, essa dieta pode gerar problemas graves de saúde, por exemplo: desnutrição, desidratação, fraqueza muscular, picos ou baixa da glicemia, dificuldades de concentração, entre outros males.

Assim, para o jejum intermitente ser bem-sucedido deve ter o acompanhamento de um especialista em nutrição. Dessa forma, o profissional indicará quanto tempo a pessoa pode ficar sem consumir alimentos e se esse é o melhor programa para seu emagrecimento.

Vantagens do jejum intermitente

Quando acompanhado pelo nutricionista ou endocrinologista, o jejum intermitente pode trazer muitas vantagens, como:

  • Clareza mental;
  • Mais disposição;
  • Fortalecimento da vontade;
  • Redução no peso;
  • Controle da glicemia e insulina;
  • Melhora cardíaca.

Desvantagens do jejum intermitente

Antes de optar pelo jejum intermitente é preciso conhecer todos os lados do sistema. Veja quais são as desvantagens do jejum intermitente:

  • Riscos de saúde se feito sem orientação médica;
  • Dificuldades para adaptação;
  • Risco de tonturas e náuseas nos períodos de jejum;
  • Aumento da compulsão alimentar;
  • Risco de desenvolver ansiedade;
  • Exigência de uma grande força de vontade.

Apontamentos de estudos científicos

Pesquisadores da Universidade de Illinois, de Indiana e do Instituto Salk de Estudos Biológicos realizaram testes sobre o jejum intermitente. Durante 12 semanas foram avaliadas 36 pessoas consideradas obesas. Elas seguiram o protocolo 16h horas de jejum por 8h de alimentação.

Os resultados foram divulgados pela revista científica Nutrition and Healthy Aging. Segundo a análise houve uma perda média de 3 quilos durante as 12 semanas. Já no consumo diário, os estudiosos notaram uma diminuição de 341 calorias.

Dessa forma, os cientistas indicam uma redução moderada de peso nos participantes nesta pesquisa inicial. Logo, essa análise, em conjunto com a avaliação das vantagens e desvantagens do jejum intermitente feitas com o nutricionista, é uma porta para saber se esta dieta é ideal para cada pessoa.

O que achou do artigo? Deixe nos comentários sua opinião sobre o jejum intermitente e conte se acha uma boa ideia fazer essa dieta.

Deixe uma resposta