Jejum intermitente: O que é? Posso fazer?

Existem diversos métodos para emagrecer disponíveis em vídeos e artigos, um dele é o jejum intermitente. Na busca do corpo ideal, muitas pessoas entram nesses processos por contra própria, o que pode levar a quadros de compulsão e ansiedade.

Por isso uma dieta sem acompanhamento médico pode ser prejudicial para a saúde. Então, entenda melhor o que é jejum intermitente e quem pode fazê-lo.

O que é jejum intermitente?

O jejum intermitente é uma forma de emagrecimento. Ele tem como objetivo intervalar momentos de jejum com períodos para alimentação. A palavra “intermitente” significa exatamente isso: com intervalos.

Ao realizar esse procedimento, a intenção é que o corpo utilize suas reservas de gordura. Logo, acontecerá uma perda da massa indesejada. Em geral, o jejum leva de 10 a 24 horas, dependendo do protocolo seguido. Ele pode ser feito diariamente ou apenas em dias específicos na semana.  

Durante os horários de consumo a pessoa deve comer a quantidade que está habituada. Esses momentos são chamados de janelas de alimentação. Quando estiver fora das janelas, o indicado é ingerir apenas líquidos sem calorias, como água, café sem açúcar e chás.

O jejum era uma condição presente durante as épocas em que os seres humanos viviam da caça e não conheciam a agricultura. Por isso, era comum passar diversas horas sem consumir nenhum alimento. Logo, é essa estratégia aplicada no jejum intermitente.

Quais são os protocolos de jejum intermitente?

Há vários protocolos de jejum intermitente, a diferença entre eles é a duração dos períodos sem alimentação. Porém, é importante ressaltar que não basta apenas escolher um método e seguir.

Para que não haja problemas em sua saúde, é preciso consultar as possibilidades com o nutricionista ou endocrinologista. Estes especialistas realizarão exames e indicarão o tipo de dieta adequada para o seu biótipo, estilo de vida e controle emocional (para não haver casos de compulsão vinda da ansiedade por comer).

Sabendo disso, confira quais são os tipos de jejum intermitente.

Jejum de 12 horas

É o sistema mais utilizado, nele a pessoa passa metade de um dia sem ingerir alimentos. Porém, as 8 horas de sono também entram nessa conta. Um exemplo e parar de comer às 19h e voltar com a alimentação às 7h. Nele são permitidas três janelas de alimentação no dia.

Protocolo Coma – Pare – Coma

Nesse protocolo é escolhido um ou dois dias durante a semana para ficar 24 horas completamente em jejum. Logo, a pessoa comerá às 7h de segunda-feira e só voltar a sua alimentação às 7h de terça-feira. Este método é o mais difícil para adaptação, por isso é fundamental ingerir pratos ricos em fibras nas janelas de alimentação.

Sistema Leangains

Essa metodologia foi desenvolvida por um sueco chamado Martin Berkhan. A proposta é passar 16 horas em jejum e nas 8 horas restantes fazer de duas a três refeições. O momento ideal para comer é escolhido pela pessoa em conjunto com o nutricionista ou endocrinologista.

Quem pode fazer jejum intermitente?

Dependendo do perfil de cada pessoa fazer um jejum de 12 horas, por exemplo, não será tão difícil. Se ela possuir reserva de gordura e tiver controle emocional, o jejum intermitente é uma possibilidade. Contudo, existem algumas restrições.

Quem não pode fazer jejum intermitente:

  • Gestantes e lactantes: já que precisam estar nutridas para o crescimento do bebê;
  • Crianças e adolescentes: pois precisam de nutrientes para seu desenvolvimento;
  • Pessoas com compulsão alimentar: uma vez que aumenta o risco desse problema e de ocasionar crises de ansiedade;
  • Pessoas com doenças crônicas como diabetes e hipertensão: porque há risco de hipoglicemia.

Ao saber o que é jejum intermitente e quem pode fazer fica claro em quais casos ele é indicado ou não. Ao começar uma dieta, sempre consulte um especialista, para não correr riscos de saúde durante o processo.

O que achou do artigo? Deixe nos comentários sua opinião sobre o jejum intermitente e conte se já seguiu algum dos protocolos.

Deixe uma resposta